Alta de Bolsonaro é adiada após contaminação de cateter

28 de setembro de 2018

Alta de Bolsonaro é adiada após contaminação de cateter

Após constatar infecção bacteriana no cateter usado no candidato do PSL, Jair Bolsonaro, a saída do presidenciável foi adiada. A previsão incial era de que o presidenciável iria sair nesta sexta-feira, 28. De acordo com pessoas próximas ao presidenciável, o quadro foi constatado após a retirada do cateter na quarta-feira. Bolsonaro está internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde o dia 7 de setembro após sofrer um atentado a faca em Juiz de Fora (MG) no dia 6. A informação foi antecipada pelo site BR18, do Grupo Estado.

O médico do candidato de Bolsonaro, Antônio Luiz Macedo, confirmou ao Estado que foi detectada uma contaminação no cateter que estava no braço do presidenciável. “Mas sem repercussão para ele”, disse. Segundo Macedo, a bactéria encontrada foi um germe simples de pele, de “fácil tratamento”. O médico afirmou que Bolsonaro deve ter alta já neste fim de semana.

Bactérias das pele, tanto do próprio paciente, como do profissional que o manipula, podem contaminar o cateter. Sempre que o acesso é retirado, os hospitais fazem exames na ponta do cateter, que fica em contato com o sangue, para saber se ela está contaminada. Ao constatar a contaminação no cateter, é preciso saber se a infecção chegou ou não à corrente sanguínea.

Enquanto isso, o paciente já recebe antibióticos específicos e para bactérias da pele, que não são mesmos administrados para o intestino.