Câmara de Bairro em Bairro: População cobra segurança em escolas, melhorias na saúde e regularização de imóveis

21 de maio de 2018

Câmara de Bairro em Bairro: População cobra segurança em escolas, melhorias na saúde e regularização de imóveis

Sexta edição do programa foi realizada no Jardim Nova Esperança. (Foto: AI/Câmara Municipal de Sorocaba)

A sexta edição do Programa Câmara de Bairro em bairro, realizada neste sábado (19) pela manhã no Jardim Nova Esperança, teve como principais reivindicações da comunidade a necessidade de regularização de imóveis, de mais melhorias no atendimento em saúde e de mais segurança em escolas. O evento, que é uma iniciativa do presidente da Câmara Municipal de Sorocaba, vereador Rodrigo Manga (DEM), em conjunto com a Mesa Diretora da Casa, reuniu dezenas de pessoas na Escola Municipal Avelino Leite de Camargo.

Além de Manga, desta vez participaram também os vereadores Francisco França (PT), Vitão do Cachorrão (MDB), Fernanda Garcia (PSOL), João Donizeti (PSDB) e Silvano Júnior (PV). O programa tem como objetivo promover a integração entre o Poder Legislativo e a comunidade de cada bairro, identificando as demandas e encaminhando-as, posteriormente, ao Poder Executivo.

“Trata-se de um exercício de cidadania e democracia. É no olho a olho que podemos, de fato, saber com mais detalhes das principais necessidades da população. Está de parabéns quem veio participar do evento, não medindo esforços nem debaixo de chuva”, destaca Manga.

 

Demandas – Moradora do Jardim Nova Esperança, Juliana de Souza foi a primeira a apontar aos vereadores as necessidades da localidade onde mora. “As pontes de madeira precisam de uma solução definitiva, como serem substituídas por de concreto, e ainda é necessária melhor limpeza de áreas públicas no bairro”, destaca.

Já a munícipe Zélia Brito foi a primeira, dentre demais participantes que tiveram voz no evento, que citou a necessidade de mais segurança nas escolas e de melhoria no atendimento na unidade de saúde do bairro. “Precisa ter mais médicos. Agora o assunto da vez são as terceirizações da área da saúde; quero saber mais sobre isso. E na porta das escolas deveria ficar um guarda.”

A catadora de materiais recicláveis Alessandra Vaz é mãe de oito filhos, sendo um deles adotado. Além de apontar a falta de segurança em escolas e a importância das famílias terem seus imóveis regularizados, ainda levantou a questão dos ‘Sabe Tudo’. “Essas unidades foram todas fechadas pela Prefeitura. Não tenho como pagar internet e meus filhos usavam esses locais para pesquisas, a fim de fazer os trabalhos da escola. Agora muitas outras crianças ficam pela rua, fazendo coisas absurdas por aí.”

Ela elogiou as instalações da E.M. Avelino Leite de Camargo, mas assim como outros pais de alunos e funcionários da unidade, também criticou a proliferação de pombos no local. “É preciso uma ação emergencial. A população, que joga alimentos para os pombos também tem sua culpa, mas é preciso o poder público fazer algo”, explica.

Logo em seguida, a professora Neide de Lourdes Lopes alertou para a falta de acessibilidade para cadeirantes e deficientes físicos às instalações das escolas, e a falta de ambulâncias para atender que precisa de socorro médico. Entre outras demandas, a comunidade ainda reivindicou a implantação de contêineres de lixo, realização de tapa-buraco e recapeamento de vias, instalação de lombadas.

 

Câmara nos bairros – O Programa “Câmara de Bairro em Bairro” foi instituído pela Resolução nº 443, de 12 de janeiro de 2017, de autoria da atual Mesa Diretora. As reuniões do programa são realizadas periodicamente, devidamente agendadas em próprios municipais e com ampla divulgação, inclusive para os moradores da respectiva região.

As edições anteriores do ‘Bairro em Bairro’ foram realizados nos bairros Parque São Bento, Júlio de Mesquita Filho, Éden e Brigadeiro Tobias, Jardim Santo Amaro.


Tags:, , , , ,