Conjunto Hospitalar de Sorocaba vai completar 50 anos e precisa de reformas urgentes

3 de abril de 2019

Conjunto Hospitalar de Sorocaba vai completar 50 anos e precisa de reformas urgentes


Formado pelo Hospital Regional, pelo Hospital Leonor Mendes de Barros e por um ambulatório, o Conjunto Hospitalar de Sorocaba é responsável pelo atendimento de quase três milhões de pessoas residentes em 48 municípios da região do sudoeste paulista e é referência
em procedimento de média e alta complexidade.

Atendendo a mais de três mil pacientes por mês e prestes a completar 50 anos, o CHS passou por diversas mudanças desde janeiro de 2019, quando o Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP) assumiu a administração do complexo, mas um levantamento feito pela nova administração afirma que são necessários R$ 65 milhões para uma reforma completa no conjunto.

O hall de entrada ganhou pintura nova, mais iluminação e espaço. De acordo com membros do Seconci-SP, novas catracas serão instaladas, mas, enquanto isso não acontece, um guarda controla o acesso de pacientes e acompanhantes. O ponto eletrônico dos médicos e funcionários do CHS, onde em janeiro de 2018 foram levantadas denúncias sobre a “farra do ponto”, também ganhou melhorias.

Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do CHS disponibiliza 30 vagas divididas em dois setores. Já a UTI pediátrica tem 10 leitos e a UTI Neonatal, para recém-nascidos, conta com 18 vagas. Os atuais gestores reconhecem que o número não é suficiente para o hospital e que para suprir a demanda, seriam necessários em média mais 20 leitos de UTI.

Em reportagem feita pela TV TEM, foram encontrados inúmeros problemas como, por exemplo, madeira aparente nas placas de proteção instaladas nas paredes e quinas desgastadas, tubulação do ar-condicionado improvisada deixando um cano à mostra. Em alas de internação do hospital regional, parte dos quartos não tem banheiro, banheiros com piso quebrado para a realização de manutenção que não foi terminada, falta de chuveiros, janelas com cortinas improvisadas com lencóis para proteger do sol e calor,  entre muitos outros problemas, como a demora na realização de exames e cirurgias por falta de material.

A gestão atual reconhece que a situação do CHS merece mais atenção e que o ideal é que haja um banheiro por quarto, mas, segundo eles, para isso acontecer seria preciso mudar toda a instalação hidráulica e elétrica do prédio, que é antigo. A nova administração fez as contas e afirma que serão necessários R$ 65 milhões para reformar todo o Conjunto Hospitalar de Sorocaba. Esta verba tem que vir do Governo do Estado, já que o contrato fechado entre a Secretaria Estadual de Saúde e o Seconci-SP prevê o repasse mensal de R$ 9,5 milhões para o atendimento. O valor inclui custos com funcionários, remédios, insumos, procedimentos e a manutenção da estrutura. Já as melhorias continuam por conta do governo estadual.

Fonte: G1 Sorocaba / Foto: Reprodução/TV TEM