Corinthians nega bloqueio de contas por dívida de marmitas

20 de setembro de 2018

Clube se manifestou após publicação de que teria deixado de pagar empresa que fornecia alimentação. Valor discutido é de R$ 3,9 mil, mas diretoria diz ter quitado

Corinthians nega bloqueio de contas por dívida de marmitas

Corinthians negou que voltou a ter contas bloqueadas por não pagamento de dívida à empresa Refine Comercial, que fornecia marmitas e outros serviços de alimentação ao clube, Na Justiça, a empresa cobrou R$ 3,9 mil, valor que teria sido deixado de pagar pelo Timão após acordo, informação foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. Após a publicação, no entanto, o clube emitiu uma nota oficial para tratar do assunto e afirmou que não há pendências.

“O Sport Club Corinthians Paulista informa que os valores referidos na reportagem veiculada nesta manhã pela Folha de São Paulo já foram pagos e não há nenhuma pendência entre o clube e a empresa Refine Comercial e Serviços Ltda, que fornecia alimentação aos funcionários e aos atletas. O saldo remanescente cobrado na referida ação, no valor de R$ 3.907,01, foi quitado no dia 03 de agosto de 2018. O Corinthians reitera que não há qualquer bloqueio judicial nas contas do clube”, diz a nota do Corinthians em seu site oficial.

Em janeiro, depois que teve contas bloqueadas, o Corinthians fez acordo para pagar R$ 130 mil à empresa. Ao jornal Folha de S. Paulo, o advogado do clube afirmou que ainda não há conclusão sobre o valor pedido.

“Foi feito o pagamento, mas ainda cobram um valor e estamos discutindo se é devido ou não”, afirmou Diógenes Mello.

O contrato com a empresa de fornecimento foi assinado em janeiro de 2015 pela gestão do então presidente Mário Gobbi com duração de dois anos. No entanto, em agosto, Roberto de Andrade, sucessor de Gobbi, decidiu por romper o vínculo sem pagamento de multa, que depois foi cobrada pela Regime na Justiça.