Crespo tem mandato cassado e Jaqueline Coutinho toma posse como prefeita de Sorocaba

2 de agosto de 2019

Crespo tem mandato cassado e Jaqueline Coutinho toma posse como prefeita de Sorocaba


Após 13 horas de duração, a sessão extraordinária que colocou em votação o relatório da Comissão Processante, que investigou Crespo por supostas irregularidades na contratação de voluntários na prefeitura, decidiu por 16 votos a favor e 4 contrários, pela cassação do mandato do prefeito Jose Crespo.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da cidade, Salatiel Hergesel, autor da denúncia que culminou na abertura da CP contra Crespo, acompanhou a sessão.

Por solicitação do advogado do então prefeito, Marcio Leme, foi iniciada a leitura integral do processo, incluindo a exibição na íntegra de todos os depoimentos colhidos pela CPI durante quase seis meses. Logo no início da leitura, José Crespo deixou a sessão e não retornou mais. Questionado sobre o motivo da ausência, o advogado dele disse que era “segredo”. Após quase nove horas de sessão, o advogado decidiu solicitar o fim da leitura dos autos do relatório para dar continuidade à sessão extraordinária. Além disso, dispensou a exibição dos depoimentos.

Marcio ainda solicitou que os vereadores Hudson Pessini (MDB), Iara Bernardi, Fernanda Garcia, Francisco França (PT), Péricles Régis (MDB), Renan dos Santos (PCdoB) e Rodrigo Manga (DEM) fossem impedidos de participar da votação. Dini consultou o departamento jurídico da casa e decidiu rejeitar o pedido.

O advogado do prefeito então teve duas horas para fazer a argumentação, mas encerrou o discurso antes do prazo, dando início à votação que derrubou o mandato de Crespo. Nos três quesitos, foram dezesseis votos a favor da cassação e apenas quatro contrários.

Os votos contrários à cassação foram dos vereadores Cíntia de Almeida (MDB), José Apolo da Silva (PSB), Irineu Donizeti de Toledo (PRB) e
Luis Santos Pereira Filho (Pros) .

Logo após a Câmara dos Vereadores cassar o mandato de Crespo (DEM) pela segunda vez em dois anos e meio, Jaqueline Coutinho (PTB) chegou à Câmara às 3h00 e tomou posse como prefeita de Sorocaba (SP) na madrugada desta sexta-feira (2).

Como não existe suplente de vice-prefeito, caso Jaqueline precise se ausentar por um período de 15 dias, quem assume a prefeitura é o presidente da Câmara, Fernando Dini (MDB).

Esta foi a segunda vez que a Câmara dos Vereadores decidiu o futuro do mandato de Crespo à frente da Prefeitura de Sorocaba e pelo mesmo motivo do primeiro pedido de cassação: a atuação de Tatiane Polis na administração municipal.

Em julho de 2017, Tatiane, então assessora de Crespo, virou pivô de uma briga política entre ele e a vice-prefeita. Jaqueline Coutinho foi a público dizer que teria sido humilhada pelo prefeito durante uma reunião em que denunciou a suposta falta de diploma de Tatiane, que teria cursado apenas até a 6ª série do ensino fundamental.

Os vereadores abriram uma primeira Comissão Processante para apurar quebra de decoro e crime de prevaricação por parte de Crespo. A CP apontou o prefeito como culpado e recomendou a sua cassação, revertida depois de 43 dias com uma liminar na Justiça. Em seguida, Tatiane pediu exoneração da prefeitura alegando ter sido vítima de perseguição.

Foto: Carlos Dias/TV TEM


Tags:, , ,