Joesley Batista e Executivo da JBS se entregaram à PF na tarde deste Domingo (10)

11 de setembro de 2017

O empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa J&F, do grupo do frigorifico JBS, se entregou a Polícia Federal na tarde deste Domingo (10), após ter sua prisão determinada pelo ministro e relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin.

Joesley se entregou juntamente com o executivo da empresa, Ricardo Saud, que também é acusado de prática sistemática de delitos e lavagem de dinheiro e de omitirem informações no acordo de delação premiada firmado com a Procuradoria Geral da República.

Antes, porém, da decisão de Fachin, o Procurador-Geral da República Rodrigo Janot já havia feito o pedido na última sexta-feira (08), deixando um clima de alvoroço e expectativa em Brasília.

As prisões de Joesley Batista e Ricardo Saud são temporárias, de apenas cinco dias, mas podem ser prorrogadas e até convertidas em preventivas, sem para terminar, se surgirem fatos novos.

Além da decretação da prisão, Fachin também decidiu sobre os benefícios dos delatores e autorizou a suspensão parcial da eficácia desses benefícios.

O ministro disse que isso é necessário para que se busque, a partir de novas medidas, provas sobre os indícios de crimes atribuídos a Marcello Miller.

O ministro reproduziu o contexto dos indícios contra o e-procurador e os motivos pelos quais não mandou prendê-lo.

“O procurador Rodrigo Janot afirmou que atitude de Marcello miller, tal como revelada em diálogos gravados, (…) configuraria, em tese, participação em organização criminosa, obstrução às investigações e exploração de prestígio”.


Tags:, , , , , , ,