Lei dos desmanches completa um ano no próximo semestre

7 de maio de 2015

No próximo dia 2 de julho, a “lei dos desmanches” ou “lei do desmonte” como é popularmente conhecida, completará um ano e atingirá nível nacional, já que por enquanto só está em vigor no estado de São Paulo

Lei dos desmanches completa um ano no próximo semestre

Para estar dentro da lei, algumas alterações no prédio foram feitas (Foto: Arquivo Pessoal)

A lei 12.521/07 diz que: O desmonte de veículos automotores e a comercialização de autopeças usadas e recondicionadas poderão ser feitos exclusivamente por estabelecimentos credenciados junto ao Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), mediante apresentação do contrato social da empresa e relação de empregados e ajudantes devidamente qualificados, devendo comunicar em dois dias as alterações que houver. O que acabou fazendo com que vários desmanches ilegais fossem fechados, outros fechassem as portas para se adequar às novas exigências, poucos já estão funcionando corretamente.
Como é o caso da Alpha autopeças, que se adequou à nova lei e até “comemorou” a implantação da mesma, pois segundo eles as lojas deixaram de ser mal vistas pelos consumidores. “A lei é ótima, pois com ela todos os estabelecimentos que não se adequarem às leis estão fora do mercado. Quem já trabalhava de acordo com o que o Detran pediu, está tranquilo. Melhor não só por conta dos roubos de carro, mas as lojas tiveram que ter um padrão e deixaram de ser mal vista pelos consumidores”, comenta Harysson Victor, da Alpha Auto Peças.
Segundo o dono da Alpha, foram muitos procedimentos para a empresa ficar legal perante o órgão, incluindo inscrição no Detran, pagamento de taxas, colocação de extintores na loja, regularização do piso, entre outras adequações. Tudo com o intuito de virar realmente uma loja de autopeças.
Sobre a importância da lei, o empresário foi taxativo ao frisar que foi de grande valia, pois prezaram muito pela organização e qualidade das peças. “O desmanche deixou de ser aquele lugar sujo bagunçado, para ser uma loja de autopeças, aonde o cliente chega pede e leva tudo com tranquilidade nota fiscal e com a comprovação de sua origem”, enfatizou Harysson.
Também regulamentado pelo Detran e com toda a documentação e adaptação em dia, Edson da Silva, o Zóio da Z&Z Moto Peças disse que a burocracia foi grande e que a despesa para regularizar tudo foi bem alta, mas agora vai colher os frutos por estar totalmente legalizado e ser o único no ramo de motocicletas da região a ter os documentos necessários exigidos pela lei. “Tive que mudar toda a estrutura da loja e ficar um tempão parado para adequar o meu estabelecimento, mas agora estou tranquilo”, diz Edson.
Além da organização e transparência, e do fato das lojas agora poderem disputar os preços de igual para igual, eles acreditam que tudo isso pode diminuir significativamente o número de roubos de carros, pois os estabelecimentos não terão mais como comercializar peças oriundas desse mundo obscuro.