Lixo que iria para aterros é transformado em combustível em Sorocaba

18 de junho de 2019

Lixo que iria para aterros é transformado em combustível em Sorocaba

Empresa de Sorocaba recolhe lixo de 800 indústrias e separa tudo o que pode ser reaproveitado. Tudo o que não tem condição de ser reciclado é triturado, seco e vira um resíduo capaz de gerar energia. A empresa tritura 200 toneladas destes resíduos por dia e leva tudo para uma das maiores fábricas de cimento do país, em Salto de Pirapora (SP). É a primeira indústria do Brasil que aproveita este tipo de material.

Segundo o gerente de sustentabilidade da empresa, José Carlos Silvestre, é o chamado Combustível Derivado de Resíduos (CDR). “O lixo é composto por restos de sanitários, por orgânicos, por podas de árvores, varrições. Esses materiais têm poder calorífico, que é o que as cimenteiras precisam para geração de energia”, diz Silvestre.

Na empresa também são usados os resíduos de empresas que recolhem lixo em 40 cidades do interior de São Paulo. O lixo é incinerado e gera energia nos fornos para a fabricação do cimento. Com isso, a indústria já conseguiu substituir 30% de um composto derivado de petróleo, que antes era o único combustível usado.

De acordo com o gerente do setor de combustíveis alternativos, Eduardo Porciuncula, a estimativa é aproveitar este ano 65 mil toneladas do combustível alternativo, que reduz a emissão de gases que causam o efeito estufa.

O próximo passo, segundo o diretor da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos (Abrelpe), é aumentar o aproveitamento do lixo urbano. “O potencial de geração de energia elétrica a partir dos resíduos sólidos urbanos no Brasil poderia abastecer 3% do consumo nacional em um ano. É uma fonte considerável e que deve ser incluída nos projetos de aumento da malha elétrica do Brasil e também para o aproveitamento das indústrias”.

Fonte: G1 – Foto: EBC