Movimento descumpre decisão judicial e Sorocaba ficou sem transporte público

14 de junho de 2019

Movimento descumpre decisão judicial e Sorocaba ficou sem transporte público

A cidade de Sorocaba ficou sem transporte público nesta sexta-feira (14). A Urbes – Trânsito e Transportes lamenta que o movimento grevista descumpra a determinação judicial que obriga a prestação de ao menos 70% do serviço no horário de pico e 50% no restante do dia. A Urbes, que também administra o Terminal Rodoviário, informou que as partidas e chegadas do transporte rodoviário ficaram prejudicadas pela greve geral.

A greve geral é um movimento nacional contra a reforma da Previdência e cortes na Educação. O movimento não faz qualquer manifestação local ou reivindicações das empresas que operam o transporte, da Urbes ou da Prefeitura. 

Durante toda a madrugada, diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região estavam nas garagens das concessionárias que operam o Sistema do Transporte Coletivo.  A frota sequer deixou as garagens às 4h, como rotineiramente faz. O sindicato autorizou a saída de um único coletivo do transporte especial da concessionária Consórcio Sorocaba (ConSor) para atender agendamento médico na Policlínica Municipal.

Chegou ao conhecimento da Urbes – Trânsito e Transportes que durante a madrugada foram queimados dois ônibus pertencentes a terceiros nas ruas, um em Sorocaba e outro em Votorantim. Os ônibus queimados não pertencem à frota do Sistema do Transporte Coletivo Público de Sorocaba, pois estavam todos nas garagens. 

A Guarda Civil Municipal está com todo o seu efetivo, inclusive o pessoal do administrativo nas ruas, empenhados para, juntamente com a Polícia Militar, garantir a população a segura circulação nas vias públicas e o acesso aos serviços públicos do Município

A atuação dos agentes de trânsito está principalmente nas avenidas de maior circulação: Dom Aguirre, Itavuvu, Afonso Vergueiro, Armando Pannunzio, Eugênio Salerno, Carlos Reinaldo Mendes, Whashington Luiz, Antonio Carlos Cômitre e General Carneiro.