Operação Casa de Papel: secretários investigados deixam o cargo

11 de abril de 2019

Operação Casa de Papel: secretários investigados deixam o cargo

Os secretários Eloy de Oliveira (Comunicação e Eventos) e Hudson Zuliani (Licitações e Contratos) deixaram o cargo no final da manhã desta quinta-feira (11), quando souberam que o prefeito José Crespo iria afastá-los. Os dois são investigados pela Operação Casa de Papel, que apura desvio de dinheiro, fraudes em licitações e corrupção de agentes públicos na Prefeitura de Sorocaba. O terceiro secretário envolvido na apuração, Werinton Kermes, pediu exoneração na terça-feira (9) e foi substituído por Gilberto de Camargo Antunes, ex-diretor de área do gabinete do prefeito.
A gama de crimes cometidos vai desde contratos superfaturados até serviços contratados e não prestados.

Além dos secretários de Cultura e Turismo, de Comunicação e Eventos e de Licitações e Contratos, estão sendo investigados o empresário Felipe Bismara (proprietário da empresa Selt – antiga Twenty), Jaqueline Helena da Silva Bismara (mulher de Felipe), Antônio Tadeu Bismara (irmão de Felipe), Antônio Bocalão Neto (proprietário do jornal Gazeta do Interior), Bianca Stefane Munis de Figueredo (mulher de Bocalão Neto) e Edmilson Chelles (funcionário de carreira na prefeitura).

Na segunda-feira (8), 18 mandados de busca e apreensão foram cumpridos quando a Operação Casa de Papel foi deflagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público para investigação de desvio de dinheiro, lavagem de dinheiro desviado dos cofres públicos, fraudes em licitações e corrupção de agentes públicos na Prefeitura de Sorocaba. Além dos mandados de busca e apreensão, a polícia também pediu o bloqueio de bens imóveis e veículos dos suspeitos investigados.

Segundo a polícia, o inquérito que apura as possíveis irregularidades teve início há seis meses e foi instaurado pelo Setor Especializado de Combate à Corrupção, Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro da Delegacia de Polícia Seccional de Sorocaba.


Tags: