Principais adutoras passam a contar com medidores de precisão

24 de julho de 2018

Principais adutoras passam a contar com medidores de precisão

Adutoras contam agora com macromedidores que foram instalados no domingo (22). (Foto: Secom)

As duas principais adutoras, que transportam água bruta coletada na represa de Itupararanga por 14 quilômetros, agora estão equipadas com medidores de precisão em suas extremidades, no interior da Estação de Tratamento de Água do Cerrado (ETA Cerrado). Denominados de macromedidores, eles foram instalados na manhã de domingo (22) em uma operação que envolveu diversas equipes do Saae-Sorocaba. Com eles, o Saae-Sorocaba passa a ter a certeza do volume exato de água que chega para o tratamento na principal ETA de Sorocaba. “Em nossa administração, o saneamento de Sorocaba está cada dia mais equipado e o Saae-Sorocaba melhora ainda mais a eficácia e controle do sistema que oferta água de qualidade superior à nossa população”, comemora o prefeito José Crespo.

De acordo com o diretor-geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva, cada um dos dois macromedidores têm a margem de erro de no máximo 0,5%. Isso significa que será possível medir com confiança, tanto as perdas que ocorrem desde chegada da água para o tratamento, além de sempre estar ciente se toda a água que entra nessas adutoras na represa do Clemente está chegando na ETA. “Os eventuais vazamentos serão identificados e corrigidos de forma ágil, evitando colapsos nas adutoras”, explica o diretor-geral do Saae-Sorocaba.

De acordo com o diretor Operacional de Água do Saae-Sorocaba, Marcelo Moretto, a equipe com qualificados profissionais da autarquia garantiu o sucesso da instalação, apesar da complexidade que é parar duas adutoras e reduzir a atividade da principal estação de tratamento da cidade para a instalação dos equipamentos. “Uma das frentes de trabalho iniciou as atividades às 3h30 da madrugada. Exige-se muita perícia para fechar e depois colocar em carga as nossas adutoras. É um trabalho gradativo e que em caso de erro, poderia ter provocado o rompimento”, explicou Moretto.

O diretor Operacional de Produção, Reginaldo Schavi, também observou que a qualidade técnica dos profissionais que atuam na ETA Cerrado garantiu a retomada da capacidade total no tratamento de água sem intercorrências. “Reduzimos a 10% e quando o volume de água bruta retornou ao sistema atuamos com muita precisão e garantimos a mesma qualidade da água, sem a necessidade de intervalos”, declarou o diretor Schiavi. Durante todo o trabalho, a Equipe de Pitometria realizou medições em vários pontos das adutoras para monitorar a pressão interna e garantir informações aos engenheiros que calculavam a abertura dos registros e as características dos deslocamentos no interior das duas redes.

Apesar de haver a necessidade de parar as adutoras para instalar os macromedidores, a suspensão na distribuição da maior parte do volume de água para a cidade já ocorreria no domingo, independentemente ou não do investimento em macromedidores. É que para a data já estava agendada a manutenção preventiva das entradas de energia elétrica. Essa manutenção elétrica é anual e a direção do Saae-Sorocaba valeu-se da intervenção para também colocar os macromedidores.

Foi aproveitado o período de tempo que o tratamento já seria paralisado pela equipe de manutenção preventiva elétrica para instalar os macromedidores. E com as adutoras fora de carga, o Saae-Sorocaba fez manutenções e substituições e ventosas nos dutos, cuja função é a de equilibrar a pressão interna, coibindo rompimentos.


Tags:, , , , , , ,