Restam poucas vagas para a oficina gratuita de dramaturgia

22 de junho de 2015

Aula será ministrada pela dramaturga e diretora Michelle Ferreira,do grupo de teatro “A Má Companhia Provoca”

Restam poucas vagas para a oficina gratuita de dramaturgia

Michelle Ferreira é formada pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (EAD/USP) e foi indicada ao Prêmio Shell de melhor autora (foto: Divulgação)

A Prefeitura de Sorocaba vai promover no dia 30 de junho, das 17h às 19h, uma oficina gratuita de ‘Dramaturgia do Cotidiano’ no Teatro Municipal “Teotônio Vilela” (TMTV), no Alto da Boa Vista. As inscrições devem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, pelo telefone (15) 3211.2911. As vagas são limitadas.

 

Oferecida pelo Núcleo de Formação Cultural da Secretaria da Cultura (Secult), a oficina será ministrada pela dramaturga e diretora Michelle Ferreira, do grupo paulistano de teatro “A Má Companhia Provoca”. A aula acontecerá no intervalo das apresentações do espetáculo “Os Adultos estão na Sala”, contemplado pelo Edital Proac nº 9/2014 – Difusão e Circulação de Teatro, que será apresentado no TMTV em duas sessões, às 15h e às 20h, no mesmo dia.

Composta de exercícios individuais e coletivos que resultarão na escrita de formas breves de teatro, utilizando o método de escrita criativa de Jean Pierre Sarrazac, a oficina tem como principal objetivo instrumentalizar autores iniciantes e fomentar a autonomia crítica e criativa de cada indivíduo. A intenção é multiplicar o conhecimento promovendo uma verdadeira ação cultural e utilizando da escrita para refletir sobre a identidade nacional e o papel social dos dramaturgos iniciantes com a realidade brasileira.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3211.2911 ou pelo e-mail nfc@sorocaba.sp.gov.br

 

Sobre Michelle Ferreira

Indicada ao Prêmio Shell de melhor autora, Michelle Ferreira é formada pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (EAD/USP) e em Produção Audiovisual pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), além de também cursar a Faculdade de Ciências Sociais da USP (FFLCH). Foi bolsista de direção e dramaturgia do projeto “Geografia da palavra”, coordenado por Antonio Abujamra, e estudou criação de séries dramáticas e sitcoms com Ricardo Tiezzi e Newton Cannito.

Integra o Núcleo de Dramaturgia do CPT, com coordenação de Antunes Filho, desde 2003. Lá escreveu as peças “Urubu comum”, “Terras dos outros felizes”, “Minha avó e as substâncias tóxicas”´, além de “Sit down drama”. Como roteirista destaca-se pela série cômica para TV e internet “O espírito da coisa”, na qual também é diretora, e o longa-metragem “Tardes livres” com direção de Renato Chiappetta.

Já teve montagens do monólogo “Como ser uma pessoa pior”, em parceria com o ator e dramaturgo Germano Melo (2011), interpretado por Lulu Pavarin e dirigido por Mário Bortolotto, e da peça “Estudo Hamlet.com” (2011), direção de Cacá Carvalho para o Núcleo Experimental do SESI Paulista.

Por duas vezes foi finalista do concurso Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva (em parceria com a Funarte): em 2009, com a peça “Reality final”, e em 2011, com “Tem alguém que nos odeia”.

Em 2013, estreou suas peças “Tem alguém que nos odeia”, com direção de José Roberto Jardim, e “Os adultos estão na sala”, texto de estreia de A Má Companhia Provoca, com direção da autora e interpretação das atrizes Maura Hayas, Flávia Strongolli e Michelle Boesche.